terça-feira, 30 de agosto de 2011

Eu acredito em milagres!

 Muitos não acreditam nesse meu sonho ou nessa minha vontade de fazer música e viver dela,dedico boa parte do meu dia a isso,além de baterista sou uma espécie de manager da banda,faço quase tudo,meus companheiros sabem que me dedico mais,não porque eles não curtam tocar,mas eu levo isso mais a sério e no momento tenho mais tempo hábil(embora mesmo sem tempo sempre tenha dado o pouco tempo que tinha a banda),vejo isso de forma diferente,estou sempre traçando planos e tentando buscar coisas que muitos vêem como impossíveis.
 As vezes me pergunto "por que me acham tão anormal?'',será porque eu tenho sonhos e corro atrás deles,porque devo viver igual a todos,trabalhar toda semana,receber um salário que mal da para viver,casar,ter filhos,me aposentar depois de 40 anos no meu empreguinho chato e depois bater as botas.Não!Isso não é pra mim,creio que eu existo por um propósito maior que uma vida monótona e sistemática,posso estar errado,mas prefiro acreditar que não e arriscar nisso,é a minha chance,a chance de mudar a minha vida e talvez a sua.
  Em um ano e meio conseguimos muitas coisas,chegamos aonde ninguém que conhecíamos havia chegado antes,sem dinheiro,sem apoio de ninguém,cheguei a ficar quase louco e pensei até em largar a banda,mas não posso,algo em mim diz que temos que continuar e que todo esse esforço será recompensado.Afinal de contas temos que acreditar nos nossos ideais,pensamos diferente dos outros,queremos mais do que dinheiro por tocar cover em bares da moda,não nos importamos com isso,o que importa é o público ,o nosso público,que cada vez mais nos apoia e nos da força.
 Quero lhes contar uma breve história antes de encerrar esse texto,a muito tempo atrás mais precisamente por volta de 2003,quando eu tinha meus 14 anos,conheci Jonas Henrique(vocalista da Lila)através de um amigo,era um momento difícil da minha vida,havia perdido meu pai a pouco e minha família passava por problemas financeiros(não sei se isso vem ao caso,mas enfim),não era amigo íntimo dele,mas mesmo assim ao encontrá-lo começamos a conversar,e percebi que tínhamos algo em comum,naquele dia eu lhe disse que ainda "mudaria o Brasil e que seria conhecido por isso"(ele até anotou isso em seu celular na época
),Jonas já tinha uma banda na época,muito pouco o vi depois daquilo,dois anos depois aprendi a tocar violão,tive algumas bandas,fui vocalista e guitarrista mas nunca obtive êxito com as minhas performances,fui motivo de piada de muitos(os mesmos que hoje se fazem de 'amigos'),mas nunca me preocupei com isso,um dia formei uma banda e pela falta de bateristas resolvi tocar eu mesmo (na verdade sempre desejei tocar mas não tinha dinheiro para compra do instrumento),dali por diante me apaixonei pelo instrumento e em um show daquela banda chamada Os Mesmos Jonas me convidou para formarmos a Lila,topei na hora,tendo em vista que a outra banda estava com os dias contados.
 Acho que no fundo estava escrito,o universo conspirou a nosso favor,com o tempo fomos provando a todos que éramos diferentes e calamos todos que se achavam no direito de desfazer nosso trabalho,sempre respeitei à todos e mesmo que tenha sido difícil me calei frente a ofensas e críticas infundadas,e uma coisa que meu amigo Jonas citou um dia me chamou atenção 'A melhor vingança é a indiferença',hoje tenho certeza de que não preciso provar nada a ninguém.
 Para acabar queria dizer que,muitos podem pensar que isso é um sonho de adolescente,muitos já me disseram que todos adolescentes tem a impressão de que são especias e de que vão mudar o mundo,mas eu já não sou tão garoto e cada vez mais me parece mais claro o meu destino.Não somos os mais talentosos,técnicos ou bonitinhos,mas somos a banda Lila,o melhor que podemos ser,e acho que isso basta.
 Ah,existe uma frase que sempre utilizo e em vários momentos da minha vida ela me ajudou,na verdade é o título de uma música de uma banda que me fez gostar disso(Rock!!).

                                                        ''I bilieve in miracles"

Juliano Ebeling

Nenhum comentário:

Postar um comentário